O Queijo na História

Conhecido como patrimônio gastronômico e cultural de Minas Gerais, o queijo tem uma história muito mais antiga que os primaveris 500 anos das terras tupiniquins. São mais de 10 mil anos de existência na mesa da humanidade.

Diz a lenda que este delicioso derivado do leite foi descoberto por um dos filhos de Apolo, Aristeu, Rei da Arcádia. O mito nos leva a acreditar que, apesar das origens desta deliciosa especiaria ser ainda desconhecidas, sua trajetória, sem sombra de dúvidas, é muito longa.

Registros indicam que assírios, caldeus e egípcios e, posteriormente os gregos e os Romanos, já apreciavam o queijo, utilizando-o na alimentação dos soldados e atletas. Na verdade, desde o princípio dos tempos, quando as populações começaram a criar rebanhos (vacas, ovelhas, búfala, etc.), existia fonte garantida de leite e, desta forma, foi fácil descobrir que leite coalho resulta num delicioso alimento.

No Brasil, o queijo chegou no século 18, na região do Serro Frio, Minas Gerais, quando portugueses tentaram obter um alimento igual ao tipo Serra, comum em Portugal, só que, ao invés de leite de ovelhas, utilizaram leite de vaca, nascendo assim o Queijo Minas.

O queijo caminhou por diversas fases da história e diversos territórios, mas foi mesmo em Minas Gerais que foi reconhecido como merece. Valorizado em todas as suas formas e sabores, descobriu em território mineiro sua verdadeira morada.

Atualmente, o estado conta com mais de 800 laticínios cujos produtos fazem dar água na boca em todo o mundo.