Aniversário do Fundador Scala

O maestro do bem.
12/07/2011

O maestro do bem.

A pedido do departamento de Recursos Humanos realizei dia desses, algumas entrevistas com colaboradores, ex-colaboradores e diretores da empresa. O ato em si está relacionado às homenagens feitas ao Sr. Nino, todo mês de Julho, data de seu aniversário natalício.

Devo confessar que do entusiasmo inicial, da inexperiência profissional nesse tipo de atividade, chego hoje aliviado pelo trabalho realizado, mas mais profundamente sensibilizado por ouvir e sentir através das pessoas o carinho e a admiração pelo homem e profissional Leonildo Cerchi, o Sr. Nino.

Eu que já tive o prazer de conviver com ele por alguns anos e ouvir histórias sobre sua trajetória, não imaginava que iria sentir a sensação e o prazer de conhecê-lo mais e melhor.

Foram tantas palavras de carinho, tantas manifestações de respeito, dignidade, agradecimento que me fizeram moldar um quadro sobre a pessoa do Sr. Nino: Ele passou, mas sua obra ficou.

Quão grande é sua obra deixada na terra. E eu não falo do prédio, do tijolo, da massa de queijo. Estas estão aí, visíveis, palpáveis, em pleno desenvolvimento e progresso. Falo da obra que saiu da boca de todos os entrevistados e que veio, em sua maioria, do coração; que é seu exemplo de vida como patrão, como amigo, como esposo, pai e avô.  Não é difícil mexer com os sentimentos dos outros e de várias formas. Difícil é brotar no sentimento de muitos o bem, o bom, o certo. E ele fez isso com maestria; usando a batuta do caráter, da lisura e honestidade, para uma orquestra que tanto necessita desse tipo de som nos dias de hoje.

Quantos disseram que além dessas qualidades já ditas, o Sr. Nino os ajudou também financeiramente, conseguiram bens materiais com a sua ajuda, mas lembro que uma das pessoas disse que as atitudes do Sr. Nino mexeram com a alma dele. Sim, há muitas pessoas que necessitam de exemplos de dignidade, de fé em Deus, do amor ao próximo (pregado pelo próprio Cristo) para se ter uma alma boa, e o Sr. Nino contribuiu muito pra isso. E para muitos.

Nesse coro de manifestações, a palavra mais ouvida foi a de agradecimento. Entro nesse rol e através desses escritos agradeço a oportunidade de ter participado de parte da vida dele; de conhecer seu lado profissional. Quanto ao seu lado humano, ele me lembrava muito meu pai. Os conselhos e exemplos eram parecidos. A firmeza de caráter, o arrojo no trabalho, a honestidade faz parte do meu berço também.

Sei que hoje no céu que abriga ambos, há espaço para receber todos nós, os integrantes da orquestra. Basta não desafinar.

 

Notícias Relacionadas