Ceia com mais sabor.

As festas de fim de ano são uma excelente oportunidade para servir e degustar queijos.
13/12/2011

As festas de fim de ano são uma excelente oportunidade para servir e degustar queijos. Com um toque de bom gosto e uma pequena seleção de queijos de qualidade, a mesa de Natal vai ganhar muito em beleza e originalidade.
Para fazer sucesso com os convidados não é necessário comprometer o orçamento. É possível servir, por exemplo, o famoso plateau de fromages (ou “tábua de queijos”), hábito tão difundido entre os europeus.
Considerando a variedade de tipos, é possível realizar dezenas de combinações, o que torna a tarefa de escolher os queijos um agradável exercício de criatividade. Há também de se levar em conta as bebidas e os complementos, que afinal, são determinantes para a correta seleção das peças da mesa da ceia.
Para não errar na seleção, ter em mente algumas características básicas dos queijos é essencial. O primeiro ponto é que eles são classificados pela textura, segundo pelo processo de fabricação e, posteriormente, por “famílias”.
Utilizar o último critério para definir o que será servido é a melhor pedida. As “famílias” agrupam queijos que possuem características marcantes em comum: os “Queijos Azuis”, por exemplo, possuem como característica principal a presença do fungo “penicillium roqueforti” na massa. Os representantes mais famosos desta família são o Gorgonzola e o Roquefort.
Já a família dos “Queijos com Mofo Branco” é composta por tipos como o Camembert e o Brie,  maturados pela presença do “penicillium candidum”.
Há mais famílias, é claro, e as citadas são meramente ilustrativas. 
A divisão, ao contrário de complicar, ajuda a compor a mesa de recepção, porque uma das primeiras regras da apresentação é não mesclar tipos da mesma família. Se o desejo é servir quatro tipos, é possível escolher um de mofo branco, um de mofo azul, um queijo de massa semicozida, como o Colonial e um queijo duro, como Parmesão Premium. 
Utilizando queijos bastante conhecidos para compor a tábua, esta ficaria assim:
Brie, Gorgonzola, Colonial e Parmesão.
Para refrescar a degustação, é recomendável servir também um patê ou um boursin. Outros complementos possíveis são os talos de salsão, bastonetes de cenouras, frutas secas, frutas frescas, geléias e castanhas variadas, além dos pães, que são imprescindíveis.
Os vinhos devem ser escolhidos para harmonizar a maior parte dos queijos presentes na tábua, e não há necessidade de muitos tipos da bebida. Um bom espumante, sempre presente, um vinho tinto e um branco podem proporcionar bons resultados. Se a opção for por cervejas especiais, é interessante que haja uma Pilsen leve e uma Ale mais encorpada.
A reação dos convidados vai recompensar plenamente o preparo, e o desafio do anfitrião será o de se superar na seleção de novos tipos de queijos para o próximo ano.
 

Notícias Relacionadas